Alimentação no Golfe

Standard

O corpo renova-se constantemente, todos os dias há células que desaparecem e são substituídas por outras que formam novos tecidos. A quantidade destes tecidos, assim como o rendimento físico e intelectual a alcançar, dependerá dos alimentos que se ingerem.
Os desportistas, sobretudo os jovens tem de perceber que para que os seus “motores” rendam ao máximo, a “gasolina” (alimentos) que devem abastecer deverá ser a melhor.

Deverá assim, dar ênfase ao plano alimentar para que permita uma recuperação e reparação rápida e eficiente dos tecidos.

Há tempos atrás, e ainda nos nossos dias, o golfe era considerado por leigos como um desporto passivo, praticado por pessoas importantes que não tem a energia suficiente ou cujas limitações físicas impedem de praticar outras modalidades mais exigentes. A imagem do golfista para o leigo é representada como um senhor de idade avançada, com peso excessivo, com um abdómen proeminente, pouca flexibilidade, escassa força e conduta alimentar nula.

Ao manter o peso corporal e uma percentagem de massa gorda adequada, incrementar a força e a flexibilidade, e especialmente adquirir correctos hábitos alimentares podem afastá-lo de doenças e ajudá-lo a baixar o seu handicap na saúde e no jogo.

As melhores opções para antes, durante e depois do jogo:

• O jantar no dia anterior ao jogo deverá ser o mais cedo possível para poder realizar a digestão antes de adormecer e este deverá ser constituído por alimentos de fácil digestão e bem suportados pelo nosso organismo. Há pessoas que suportam bem certos alimentos que outras não conseguem digerir, por isso, nada melhor que a experiência pessoal de cada um.
• Deverá evitar comidas muito condimentadas e cozinhadas e alimentos que façam gases abdominais, tais como: cebolas, maças, ovos, feijão grão, ervilhas, favas, couves, etc… A experiência de cada jogador dirá quais os alimentos a evitar.
• Deve evitar ir jogar de estômago vazio, deve comer pelo menos 2 horas antes da hora de saída;
• Os alimentos da dieta pré-competitiva não deverão ser desagradáveis para o jogador, pois o equilíbrio psicológico é muito importante. Porém, não deverá ingerir gorduras e proteínas em excesso.
• Não abusar de comidas gordas que atrasam a digestão e o esvaziamento gástrico por diminuição da mobilidade do aparelho digestivo;
• Deveremos ingerir um mínimo de proteínas, porque estas atrasam a digestão e podem provocar uma indesejável acidose, pois os produtos resultantes da metabolização das proteínas são ácidos;
• Jamais comer ameixas e figos antes da competição, pois são laxantes e podem causar diarreia;
• Não abusar o chá, álcool, cola, cerejas e morangos, pois são diuréticos e podem predispor à desidratação no decorrer do torneio;
• Antes de sair do tee 1, deverá beber abundante quantidade de água (pelo menos 0,5 litros). No saco não deve faltar bananas, bebidas isotónicas, barras energéticas, água, …
• As barras energéticas (com composição química ideal: hidratos de carbono e minerais – sódio e potássio) constituem uma excelente opção para manter os valores adequados de açúcar no sangue (muito importante para a concentração) e para recuperar de forma imediata a energia utilizada.
• As bebidas desportivas ajudam a prevenir e evitar a desidratação pelo seu conteúdo em minerais e açucares.
• Nos primeiros 8 buracos, será ideal que beba água em cada momento a que seja possível. No buraco 9, beba uma bebida desportiva para manter a energia e a concentração no jogo. Se estiver com apetite, poderá consumir uma fruta fresca ou uma porção de salada de frutas ou simplesmente uma banana. Sem deixar de beber água de forma permanente, nos seguintes buracos e até terminar, utilize uma barra energética ou ingira pedaços de banana.
• Ao chegar ao final, deverá sentir-se cansado pelo jogo, mas não extenuado e com falta de energia. Seleccionar correctamente os seus snacks (sólidos e líquidos) dentro do campo é tão importante como escolher o taco adequado. É sem dúvida uma parte fundamental na estratégia do jogo.
• No fim do jogo, os seus músculos apresentam uma acidez especial por recuperar a energia utlizada nos primeiros 30 minutos após terminar o jogo, deve aproveitar para recarregar energias de forma mais adequada, por este motivo o buraco “19” merece toda a atenção: na primeira hora, deverá ingerir alimentos ou bebidas ricas em hidratos de carbono: frutas frescas, tostadas, bebidas energéticas, uvas, …, e deverá ter cuidado com o alcóol. É sempre bom festejar o seu triunfo ou que partilhe com os seus parceiros, mas em nenhum caso o alcóol será a bebida indicada para hidratar, nem para recuperar as calorias gastas.

• Exemplo de um pequeno-almoço pré-competitivo:
Fruta ou sumos de fruta
Queijo magro ou fiambre (pequena quantidade)
Croissants ou crepes ou tostas ou flocos de cereais com leite
Compotas ou mel
Não usar manteiga

• Exemplo do jantar antes do dia da competição:
Sopa de legumes
Pequena porção de carne ou peixe grelhado
Batatas cozidas e cenoura; ou esparguete ou arroz
Fruta ou pudim flan ou bolo

Cuidados a ter na alimentação durante as deslocações:
As deslocações desportivas, principalmente quando realizadas a países com hábitos alimentares diferentes do nosso, podem trazer problemas.
Desta forma, deverá ter os seguintes cuidados:
• Contactar o local onde se vai hospedar para programar as suas refeições e se necessário levar mesmo alguns alimentos;
• Não utilizar alimentos nunca antes experimentados;
• Evitar bebidas estimulantes (café, chá preto, colas, etc.) que em associação com a eventual mudança de fusos horários ou falta de habituação à cama podem causar insónias;